-

É sabido que para se obter uma homogeneidade perfeita em tratamentos de anodização sucessivos, é necessário que as densidades de corrente nas quais as mesmas forem efetuadas sejam tão constantes quanto possível e que elas se mantenham a um valor preestabelecido, e isto independendo de se tratar de cargas pequenas ou grandes.

O acima enunciado é de importância especial quando em seguida ao tratamento de anodização se efetuar o tratamento de eletrocoloração, no qual se exige uma uniformidade perfeita. Os retificadores de corrente utilizados normalmente estão em condições de controlar, inclusive com grande exatidão, o valor da corrente total suprida, mas não a densidade de corrente, pois esta somente pode ser determinada caso se conhecer o valor da área a oxidar considerando-se esta como área equivalente para fins eletroquímicos, a qual pode diferir da área calculada geometricamente (efeitos de mascaramento etc.).

O novo computador de processo APC ("anodizing process computer") desenvolvido pela ELCA resolve de um modo definitivo o problema porque, após uma simples calibração inicial, tem condições de reconhecer automaticamente o valor da área (m2) que, multiplicada pela densidade de corrente desejada A/dm2), fornece ao retificador o sinal correspondente à corrente total que este deve suprir, sem haver necessidade de ajustes manuais subseqüentes, independentemente de se tratar de cargas pequenas ou grandes.

É além disto possível, com o APC, predeterminar o número de microns desejados que quando alcançado, assinala o fim do processamento, com impressão simultânea automática dos parâmetros do processo: data - hora de início - hora de término - duração - área (m2) - microns resultantes - microns pré-ajustados - volts - ampères - temperatura (os parâmetros de trabalho são apresentados no display durante a anodização).

O dispositivo apresenta ainda a possibilidade de ser interfaceado com um computador principal por meio da linha serial RS485.